• Vinicius Augusto Bozzo

Buzzu foi parar na China

A série de animação Buzzu na Escola Intergaláctica, produzida pelo estúdio brasileiro StartAnima, está ganhando outros países. Criada pelo diretor, roteirista e animador Rafael Ribas, a série que foi produzida para a Nat Geo Kids já ganha novas janelas no Brasil, na América Latina e também na China. A série chegou recentemente ao streaming chinês Youku. (Aliás, Rafael Ribas gravou um episódio do podcast Se Anime, ele conta um pouco sobre a origem de Buzzu, confira)


Buzzu é um alienígena que cai por acidente em Artax, a mais nova escola de gênios das galáxias. Lá ele conhece uma turma de gênios em seus planetas. É o caso do terráqueo Kaká, o comilão Pingoli e a adorável Laka. Apesar da distância da genialidade acadêmica, Buzzu tem sempre saídas geniais, divertidas e inesperadas para resolução dos problemas. Com seu jeito sem noção fica difícil descobrir de onde ele veio e porque foi parar ali.


A série, genuinamente brasileira, tem 52 episódios de 11 minutos (2 temporadas de 26 episódios) e foi desenvolvida especialmente para crianças entre 6 e 11 anos. Rafael Ribas e sua equipe acertam em cheio nas piadas físicas, nos conflitos leves entre os alunos de Artax e ao mesmo tempo com muito significado simbólico. Em Artax, cada aluno é de um planeta distante. A convivência com o diferente é necessária e é uma realidade da escola.




Por outro lado, todo o pano de fundo de Artax reúne os bons e divertidos clichês do nosso tempo de colégio. As aulas de educação física, que em Artax parece mais um treinamento do exército, a turma de malvados do colégio e um diretor que está mais focado em lucratividade e na imagem da escola do que na educação propriamente dita. O time de personagens do elenco de professores dão um show.


O grande trunfo dos episódios está nas divertidas referências à cultura pop e ao mundo geek que são capazes de divertir os pais das crianças. Em um dos episódios eles fazem referência a um filme que os alunos querem ver, uma espécie de último episódio de um “Star Wars” genérico. Em outro episódio, Buzzu foge da turma do mal no melhor estilo “Matrix”.


Além disso, Buzzu é um personagem de muitas caretas e poucas palavras. Em boa parte da série ele só diz: “Buuuzzzuuuuuuuu” que certamente se transforma em uma repetição de fácil falar para as crianças que acompanham a série. Quase um mantra. Eu mesmo me peguei falando “Buzzzzuuuuu” aqui em casa para a minha esposa.


Buzzu na Escola Intergaláctica comprova a capacidade de entrega da animação brasileira com qualidade internacional também no 3D. O Studio StartAnima tem mais de 50 anos no mercado e em 2017 lançou longa Lino que foi a maior bilheteria da animação brasileira. A série Buzzu pode ser vista também no Globo Play e também na Nat Geo Kids para toda América Latina. Buzzu ganhou o espaço, agora ganhará a terra.


O primeiro episódio está no YouTube da Nat Geo Kids:



Texto publicado originalmente no site Cosmonerd, em 27 de julho de 2020, ver em: https://cosmonerd.com.br/outros/colunas/animaland/buzzu-e-mais-uma-producao-genuinamente-brasileira-de-sucesso/

Profissional Associado:

abra.png
abca.png
foca-2.jpg
aceccine.jpg
  • imdb
  • Vinicius Augusto Bozzo no Instagram
  • Vinicius Augusto Bozzo no LinkedIn
  • Se Anime Podcast
  • Vinicius Augusto Bozzo no Twitter
  • Vinicius Augusto Bozzo no YouTube

©2019 by Vinicius Augusto Bozzo created with Wix.com